Associação do portador de doença de chagas e insuficiência cardíaca promove ação que marca o dia mundial de combate a doença

Para marcar o “Dia Mundial de Combate à Enfermidade de Chagas”, o Ambulatório e a Associação dos Portadores de Doença de Chagas e Insuficiência Cardíaca de Pernambuco (APDCIM) realizam, no próximo dia 14/04, o IV Encontro na Praça (Espaço Carlos Chagas). O evento terá início às 09h e acontece em frente ao Pronto Socorro Universitário Cardiológico da Universidade de Pernambuco (Procape/UPE).

Na ocasião, os médicos cardiologistas Wilson Oliveira Jr. e Cassandra Barros, fundadores do Ambulatório e da Associação, juntamente com sua equipe multiprofissional e voluntários farão atendimento aos pacientes. Alunos dos projetos de extensão da UPE (“Chagas: Um grande Coração 2016” e “Abraçando corações”), funcionários do ambulatório e voluntários da associação de portadores da doença farão distribuição de panfletos e esclarecimento de dúvidas, como forma de divulgar informações a respeito da doença.

Paralelamente, será oferecido um café da manhã para os paciente em atendimento na Casa do Portador de Doença de Chagas e Insuficiência Cardíaca, que abriga o Ambulatório de Referência para a Doença de Chagas em Pernambuco do Procape/UPE e a Associação de Portadores da doença de Chagas.

O Procape/UPE fica na Rua dos Palmares, s/n – Santo Amaro.

MUNDIAL - O dia 14 de abril foi escolhido como o “Dia Mundial de Combate à Enfermidade de Chagas”, pela Federação Internacional de Pessoas Afetadas pela Doença de Chagas (Findechagas), justamente porque foi o dia em que o pesquisador brasileiro, Dr. Carlos Chagas, comunicou sua descoberta à comunidade científica há 107 anos.

O dia é marcado para alertar sobre a grave problemática da doença de Chagas no mundo. Estima-se que hoje há cerca de 100 milhões de pessoas sob risco de serem contaminados, dos quais apenas 10% tem acesso ao diagnóstico, com 200 mil novos casos a cada ano e 20 mil mortes decorrentes da doença.

APDCIM – pioneira no mundo, fundada em 1987, tem estimulado a criação de novas Associações, em países endêmicos e não endêmicos para a doença de Chagas, participando ativamente da fundação e condução da Findechagas.

De 14 a 16 de abril de 2016, em La Plata, na Argentina, acontecerá a “III Assembléia de Findechagas, com o objetivo de avaliar as ações desenvolvidas e traçar metas para o biênio 2016-2018. Participarão desse encontro a Presidente da Associação de Pernambuco, Maria José de Queiroz e a Assessora Técnica da Federação, Dra. Cristina Carrazzone.

FINDECHAGAS –criada em 2010, tem como objetivo ouvir as Associações dos diversos países, endêmicos e não endêmicos para a doença, estabelecer a troca de experiências, trabalhar o associativismo, fomentar a discussão sobre Chagas junto a sociedade e a comunidades político-sanitária e técnico-científica.

A Federação conta com o apoio de entidades internacionais, tais como:  Organização Mundial da Saúde (OMS), a Fundação Lionel Messi, a Fundação Barcelona, Médicos Sem Fronteiras, dentre outras.

SOBRE A DOENÇA - Ainda considerada uma doença no rol das negligenciadas, a doença de Chagas constitui um grave problema de saúde pública para a América Latina, com repercussão mundial.

Ao contrário do que se pensa, ainda não foi totalmente controlada. É causada pelo "Trypanosoma cruzie as formas de transmissão de maior importância epidemiológica são a vetorial através de insetos hematófagos, os triatomíneos (barbeiros), a transfusional, a congênita e a oral.

A globalização com os movimentos populacionais aumenta o potencial de disseminação da enfermidade para países não endêmicos, onde não é feita a triagem em bancos de sangue.

Pernambuco, um dos Estados endêmicos, conta com um programa realizado pela Secretaria Estadual de Saúde (Ses) em parceria com o Ambulatório de Referência do Procape/UPE, o Programa Sanar, pioneiro no enfrentamento às enfermidades negligenciadas que desenvolve ações de diagnóstico precoce, tratamento e educação, que tem sido premiado em várias esferas do pais devido ao êxito obtido.